20140816

Caso Boqueirão

Para os meus leitores no Brasil: Queridos irmãos brasileiros, compartilho a dor que sentem com o trágico desaparecimento de Eduardo Campos, um político carismático e que resultou de um alegado acidente aéreo. Digo "alegado", pois vejo que no vossa imprensa já se começa a falar da possibilidade de atentado. Quero então dizer-vos que o que aconteceu com Eduardo Campos tem semelhanças assustadoras com algo que também já aconteceu com um político português e que teve lugar há mais de 30 anos! Um avião Cessna caiu numa zona habitacional nos arredores de um aeroporto, causando a morte de todos os sete ocupantes. Isso teve lugar em plena campanha de eleição presidencial e testemunhas falam de "bola de fogo" "bola de fogo" no ar e de um avião que vinha já a arder antes de embater no solo. As gravações das comunicações entre piloto e torre de controlo são inconclusivas e não há o registo de qualquer pedido de auxílio - o usual "Mayday" - da parte do piloto antes do embate fatal. Onde é que isto tudo aconteceu? Aconteceu em Lisboa, na noite de 4 de Dezembro de 1980, quando o avião Cessna que transportava o primeiro-ministro de Portugal, Francisco Sá Carneiro, despenhou-se pouco depois de ter descolado do aeroporto de Lisboa. Ia a caminho do Porto, onde era esperado para discursar numa acção de campanha de apoio ao seu candidato a Presidente da República, Soares Carneiro. O avião caiu no bairro de Camarate, sendo que, desde então, esta queda ficou conhecido em Portugal como o "Caso Camarate". E esse é hoje, caros irmão brasileiros, o vosso "Caso Boqueirão". Juntamente com o primeiro-ministro, figura bastante carismática entre os portugueses, morreram ainda o ministro da Defesa, Adelino Amaro da Costa, e o chefe de gabinete do primeiro-ministro, António Patrício Gouveia. Faleceram igualmente as esposas dos governantes, Snu e Manuela, e os dois pilotos do aparelho, Jorge Albuquerque e Alfredo Sousa. Ao fim de mais de 30 anos de investigação, a justiça portuguesa encerrou o caso sem que tivesse encontrado uma explicação lógica para o que teria levado à queda do aparelho. Entretanto, face às dúvidas de acidente ou atentado, o Parlamento português realizou várias comissões parlamentares de inquérito. Em 2004, a oitava comissão concluiu que houve uma explosão a bordo, provocada por um engenho colocado na parte dianteira da aeronave, supostamente junto ao trem de aterragem. Em 2012 escrevi um livro intitulado "Camarate - Sá Carneiro e as Armas para o Irão", onde explico que o móbil do atentando poderia estar relacionado com o facto de haver um negócio secreto de tráfico de armas dos EUA para o Irão, usando o território português como plataforma giratória para esse negócio. Sá Carneiro teria mandado investigar e isso levou à sua morte. Por outro lado, ele era uma pessoa que não hesitava em enfrentar poderes muito acima da força internacional de Portugal, pelo que a sua substituição no panorama político nacional levou depois a uma espécie de "harmonização" da vida política e que perdura até hoje. Estive no ano passado no Parlamento português a testemunhar na décima comissão parlamentar de inquérito, que tem agora a tarefa de confirmar se a tese do móbil da rede internacional que levou ao atentado tem sustentabilidade ou não. Vou lendo o que me chega do Brasil e chamo a vossa atenção para a possibilidade de surgir muita desinformação. Vão ser dias difíceis, os próximos, pelo que estejam atentos a tudo o que vos parecer informação credível e que, com o tempo, poderá desaparecer da rede. Como, por exemplo, os primeiros testemunhos que falam de uma explosão do avião no ar e que vinha a arder antes de embater no solo. Há 30 anos, não havia ainda Internet e só existia um único canal de televisão em Portugal e que era controlado pelo Estado. Hoje, com a profusão de canais de informação, podemos pensar que estamos melhor informados. É mentira. Existe é cada vez mais uma grande dispersão da informação e aquela que acaba depois por ficar é somente a que querem que seja a oficial. Por isso, mantenham a memória destes dias, pois sabe-se lá se daqui a 30 anos ainda vamos estar a discutir detalhes do que aconteceu na semana passada.

Etiquetas: , , , , , , , ,

5 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

que parezca un accidente....?

21 agosto, 2014  
Blogger Fernando Negro disse...

«estejam atentos a tudo o que vos parecer informação credível e que, com o tempo, poderá desaparecer da rede»

É um muito bom conselho a seguir.

Pois, já noutros casos (incluindo o caso dos atentados de 11 de Setembro) foi através de algumas das notícias que surgiram logo depois dos mesmos (algumas das quais só foram "descobertas" posteriormente, por investigadores sérios) que se pôde, em boa parte, chegar à Verdade sobre os mesmos.

Pois, quando se tratam de actos criminosos cometidos pelo poder estabelecido, com o tempo, a imprensa controlada (por esse mesmo poder estabelecido) vai "corrigindo" (ao ignorar certos detalhes), e tentando "cimentar" (ao repetir vezes sem conta), aquela que se quer que seja a "verdade oficial" sobre os mesmos. E, por isso, há por vezes notícias iniciais que vão sendo "abafadas"/"enterradas" - e às quais é preciso prestar (mesmo) muita atenção.

Também,

«chamo a vossa atenção para a possibilidade de surgir muita desinformação»

É outro muito bom conselho.

Pois, quando se tratam de atentados cometidos pelo poder estabelecido, surge sempre desinformação para confundir os investigadores sérios.

E, lembrem-se sempre de que, quando há (muita) desinformação sobre um facto ocorrido, é sinal de que há quem queira (muito) esconder alguns pormenores importantes sobre o mesmo. (Ou seja, se há alguém que não quer que as pessoas saibam a Verdade sobre um facto ocorrido, é porque há sobre ele algo que deve, definitivamente, ser investigado...)

95% do trabalho de grande parte das agências de serviços secretos do Mundo, consiste em emitir desinformação, para tentar encobrir as suas actividades criminosas. (http://www.ratical.org/ratville/CAH/911deception.html)

22 agosto, 2014  
Blogger Fernando Negro disse...

A imprensa controlada internacional - e, pelo que sei, também a brasileira - está a promover a Marina Silva como possível sucessora de Dilma, nestas próximas eleições presidenciais.

E, Marina Silva está agora a concorrer nestas eleições, porque Eduardo Campos entretanto morreu.

Marina Silva é uma conhecida "ecologista", que não quer ver desenvolvida a zona amazónica do Brasil. E, já recebeu vários prémios de organizações controladas pelas famílias reais europeias, pela sua luta contra o desenvolvimento brasileiro.

Curiosamente, Marina Silva era suposto estar no jacto privado em que morreu Eduardo Campos. Mas, à última da hora, mudou de planos.

27 agosto, 2014  
Blogger Fernando Negro disse...

(Quem se interessar pelo tema das organizações e ideologias pseudo-ambientalistas, que servem interesses ocultos ocidentais, que grave os seguintes textos no seu computador - pois, ou o Google anda a escondê-los, ou estes são cada vez mais difíceis de encontrar na Internet...)

http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-o-papel-da-greenpeace-e-afins-na-conquista-ocidental-da-amazónia

27 agosto, 2014  
Anonymous Anónimo disse...

"as esposas dos governantes, Snu e Manuela"

Snu era AMANTE e não esposa do Carneiro

08 novembro, 2014  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial