20090814

Quando não se sabe o que fazer, chama-se-lhe "Teoria da Conspiração"

O diário português "Público", publicação dita de "refência", descobriu hoje (não há link directo, desculpem) a história da dúvida sobre o local de nascimento do presidente norte-americano Barack Obama - teria sido mesmo no Havai ou na terra natal do pai, Quénia? Embora possa dizer que para mim tanto faz onde tenha nascido, o certo é que, do ponto de vista legal nos EUA, a confirmar-se o nascimento no Quénia, tal significaria que sua eleição para Presidente do EUA foi ilegal.
O caso passou ao lado durante a campanha eleitoral de 2008, mas fiz aqui a devida referência.
Como agora o assunto chegou à CNN, o "Público" sentiu-se mais à vontade para abordar o tema, mas com as cautelas próprias de quem tem de escrever à distância sem outras fontes que não a consulta na Internet. Vai daí, e típico em jornalistas que não sabem como tratar as grandes polémicas de Estado, menosprezaram o assunto chamando-lhe "Teoria da Conspiração"...



Deste modo, o "Público" de hoje entregou aos seus leitores um texto recheado de comentários perfeitamente inúteis para o apuramento isento e jornalístico dos factos, acabando por revelar mais sobre os preconceitos da jornalista que assina a peça do que com o cumprir da função de informar o leitor.
Confira-se:

"Não é um sketch nem uma piada de um programa de humor em formato de noticiário da televisão americana. São as alegações, tão sérias quanto possível, de um movimento de pessoas cunhadas de birthers que nas últimas semanas saltaram do subterrâneo da blogosfera para o noticiário mainstream americano. Oh, claro que ninguém acredita nisto, como ninguém acredita em bruxas, mas elas existem - e 24 por cento dos americanos, segundo as últimas sondagens, acham que elas existem".

"Mas como qualquer especialista em rumores e mitos urbanos reconhecerá, quando se bombardeia a opinião pública com toda a espécie de conjecturas com a persistência com que os birthers o têm feito, por vezes consegue-se 'instalar dúvidas irracionais em mentes razoáveis' (explicações de David Emery, perito em mitos urbanos, ao site Politico.com)".

"Para futura referência: sabemos que estamos perante uma teoria de conspiração quando a falta de provas é usada como prova. De nada valem evidências em contrário ou críticas: fazem todas parte da conspiração. A directora-geral de Saúde do Havai autenticou o certificado de nascimento? Com certeza fez panelinha com Obama. Outra característica recorrente nas teorias de conspiração: os seus defensores estão convencidos de que estão na posse de uma 'verdade' que ainda não é evidente ou acessível para a maioria das pessoas. Por exemplo: Obama é um obcecado pelo poder que tem vindo a planear secretamente a sua ascensão à presidência há muito tempo com segundas intenções, e, portanto, representa uma ameaça.
Tanto barulho, e ainda assim seguidores atentos das eleições presidenciais americanas podem nem ter dado pela existência dos birthers e das suas teorias. Não que tenham perdido fôlego - sabemos agora -, mas durante algum tempo parecia que tinham sido devolvidos à obscuridade do grupo de presumíveis fanáticos de onde haviam emergido. Uma nota de rodapé na literatura das teorias de conspiração, ou uma piada para alimentar a voracidade da blogosfera".

"Taitz é uma imigrante nascida na ex-república soviética da Moldávia que veio para os Estados Unidos em 1987 depois de viver em Israel. É um caso dentro do caso que são os birthers.
O seu blogue, orlytaitzesq.com/blog1, é um misto de panfleto amador, agenda mediática e indisfarçável vaidade - os seus posts mais recorrentes são referências garrafais às personalidades políticas ou públicas que acabam de se tornar suas amigas no Facebook. Coisas como: 'Não consigo acreditar, mas Benjamin Netaniahu [sic], o primeiro-ministro de Israel, pediu para ser meu amigo no Facebook' (27 Julho). Ou: 'Incrível - a congressista Cynthia Lummis, do Wyoming, juntou-se à congressista Mary Bono e ao vice-líder da minoria na Câmara dos Representantes Eric Cantor e tornou-se minha amiga no Facebook.' O tom é de uma rapariguinha fascinada com a sua popularidade nas redes sociais".

Etiquetas: , , ,

2 Comentários:

Anonymous ana borges disse...

De facto...
Que palhaçada de Jornalismo!
e se calhar até um copy paste de algum sítio da internet mais escondido...
Que tristeza o mundo de hoje...

14 agosto, 2009  
Blogger Magno disse...

Que estão à espera de um jornal psd que despede trabalhadores como se fossem merda....
O seu conteudo é parco, fraco e nem de politica falam, uma espécie de correio da manhã intlectual, com o Titulo: Mandaram nos às PUTAS!!!! Por José Manuel e Belmiro de Azevedo.....

15 agosto, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial