20050629

"Visão" - 13 de Julho de 1995


"Visão" - 13 de Julho de 1995
Há 10 anos, a revista “Visão” fez esta capa.
Naquela altura, os jornalistas aludiram a “um complexo negócio ilegal de armas”, mas nunca explicaram devidamente o alcance dos acontecimentos. Os jornalistas mencionaram o conflito Irão-Iraque, contudo nunca informaram os seus leitores que, a 4 de Dezembro de 1980, data em que caiu em Camarate o pequeno avião que transportava o primeiro-ministro Sá Carneiro e o ministro da Defesa, Adelino Amaro da Costa, havia um embargo internacional que afectava apenas e somente o Irão.
Portugal poderia vender armas para o Iraque em finais de 1980, mas fazer o mesmo para o Irão era algo que, a ser provado, iria provocar um escândalo a nível mundial cujas repercussões ainda hoje se fariam sentir...
Recorde-se que, em Novembro de 1980, um mês antes da tragédia de Camarate, houve eleições nos EUA em que o presidente Jimmy Carter tentava a reeleição. Do lado da candidatura Republicana estavam Ronald Reagan e George Bush, pai do actual presidente norte-americano. George Bush tinha sido chefe da CIA entre 1976 e 1977 e fora despedido precisamente por Jimmy Carter. Em Novembro de 1979, um ano antes das eleições presidenciais, houve o ataque à embaixada dos EUA em Teerão, dando início à crise dos reféns: 52 norte-americanos ficaram reféns no Irão e isso resultou num embargo internacional de venda de armas a este país.
Com as eleições de Novembro de 1980 a aproximarem-se, era urgente para Jimmy Carter conseguir trazer os seus homens para casa e, para tal, teve lugar uma operação militar em Abril de 1980. Essa operação, conhecida como “Desert One” foi um fracasso... Jimmy Carter ficava cada vez mais fragilizado para o combate eleitoral de Novembro de 1980.
Em Setembro de 1980, começou o conflito Irão-Iraque, pelo que os iranianos precisavam cada vez mais de armas. Sempre se especulou se George Bush, graças ao seus contactos na CIA, não teria negociado secretamente com os iranianos o envio de armas para este país de uma forma ilegal em troca da NÃO libertação dos reféns antes das eleições, de modo a “roubar” a presidência da Casa Branca a Jimmy Carter.
Jimmy Carter perdeu as eleições em Novembro de 1980 e, no dia da tomada de posse de Reagan e Bush, a 21 de Janeiro de 1981, os reféns foram finalmente libertados...
Em 1995, há exactamente 10 anos, ainda não se sabia publicamente que existiam registos do negócio ilegal do fornecimento de armas de Portugal para o Irão na altura em que havia um embargo internacional a este país.
Agora que já existem provas de um grande negócio à escala internacional e que ainda hoje nos afecta (veja-se a política do actual presidente dos EUA no Iraque e as crescentes ameaças nucleares no Irão), a mesma revista “Visão” ainda não publicou qualquer trabalho...
Como é pobre o jornalismo no meu país que deixa morrer desta maneira os seus líderes...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial