20040924

Relembrando Palma

Mais uma vez (a primeira vez foi em Novembro do ano passado) deixo-vos com a letra do "Ai, Portugal, Portugal", do Jorge Palma.
Vale a pena recordar e muita atenção, mesmo muita atenção, à última quadra...

Triste gente de muita coragem
E acreditaste na tua mensagem
Foste ganhando terreno
E foste perdendo a memória

Já tinhas meio mundo na mão
Quiseste impôr a tua religião
E acabaste por perder a tua liberdade
A caminho da glória

(Refrão)
Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé na galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Tiveste muitas cartas para bater
Quem joga deve aprender a perder
Que a sorte nunca vem só
Quando bate à nossa porta

Esbanjaste muita vida nas apostas
E agora trazes o desgosto às costas
Não se pode estar direito
Quando se tem a espinha torta

(Refrão)

Fizeste cego de quem olhos tinha
Quiseste pôr toda a gente na linha
Trocaste a alma e o coração
Pela ponta das tuas lanças

Difamaste quem verdades dizia
Confundiste amor com pornografia
E depois perdeste o gosto
De brincar com as tuas crianças

P. S. Mais do que a notícia de que, supostamente, uma menina foi assassinada pela mãe e tio, o que me chocou foi a razão, que a Justiça apelida de "fútil". Que País é este onde uma mãe mata uma filha por causa de 15 euros? Que desespero é este por uns trocos? E, já agora, será que eu tenho razão quando digo que 15 euros são "trocos"?!

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial