20140109

Foi à escola, sem sacola

Afinal, não havia aulas ao sábado. Mas Sócrates foi à escola, sem a sacola, pois foi jogar à bola. Quem o diz, é Jorge Patrão, pessoa que, mais tarde, levou Sócrates para o PS. Tudo na mesma escola, portanto. Sim. E eu sou um jornalista muito mau...


Etiquetas: , ,

12 Comentários:

Anonymous AnonNº1 disse...

ah ah ah ah
;)

09 janeiro, 2014  
Anonymous JPA disse...

Prestam-se a tudo.
Isto já só dá é para rir.

Atenciosamente
JPA

09 janeiro, 2014  
Anonymous Nuno Garrido disse...

Acho ter o direito a uma pergunta, depois de ter lido ao análise que, com a devida vénia ao seu autor e a quem fez o post, abaixo transcrevo.

SENDO A RTP PAGA PELO DINHEIRINHO DE TODOS NÓS, INCLUSIVE REFORMADOS CORTADOS, PORQUE NÃO EXIGIMOS QUE DEIXE DE PAGAR A MENTIROSOS QUE DELA FIZERAM O SEU POLEIRO PARA TENTAREM CHEGAR A PR?? SERÁ QUE SE DE LÁ TIRAREM TODOS OS MENTIROSOS... FICA SEM NADA PARA EMITIR?

E agora o post referido

O Diabo está nos detalhes (post final sobre Sócrates e Eusébio)
Posted on Janeiro 9, 2014 by Ricardo Campelo de Magalhães

Carlos Sá Carneiro sobre Jorge Patrão e a sua “defesa” de Sócrates:

E finalmente apareceu o Colega que faltava: Jorge Patrão, irmão de Luís Patrão, vem dizer que quando chegou à escola “Sócrates estava lá a comemorar”. E diz mais: “Nós morávamos no centro histórico da Covilhã e a escola ficava a muito poucas centenas de metros das nossas casas. Por isso, fosse em que dia fosse, houvesse aulas ou não, estivéssemos de férias ou não, fazíamos de um dos pátios da escola o nosso lugar de encontro habitual”. Depoimento detalhado q.b.
Mas Sócrates, no seu relato do “momento”, igualmente detalhado q.b., veio dizer que, quando saiu de casa, Portugal estava a perder 3-0 (ou seja, saiu entre o minuto 23 e o minuto 27). Foi ouvindo os gritos dos golos de Portugal no caminho para a escola e, quando lá chegou, Portugal já estava a ganhar (sendo que, o quarto golo de Portugal, foi marcado ao minuto 60). Ao que se soma 15 minutos de intervalo. Mesmo com 9 anos, demorar mais de 45 minutos para percorrer “muito poucas centenas de metros” é obra. A menos que se tenha perdido no caminho para a escola…. O diabo está sempre nos detalhes.

Muito bom. Melhor, nem que eu pagasse. Bem pode Paulo Pinto (Jugular) desvalorizar (em 6 longos parágrafos) ou Miguel Abrantes (Corporativo) atacar a pessoa do João Figueira, o que é facto é que esta foi a frase mais ouvida de um Sócrates em queda de audiências há já algum tempo.

10 janeiro, 2014  
Anonymous Anónimo disse...

e eu a pensar que só o King é que pedia tremoços como marisco...afinal há mais...

10 janeiro, 2014  
Anonymous Anónimo disse...

Bastava que Sócrates tivesse dito que se tinha enganado, que tinha feito confusão com outro jogo e logo o facto seria esquecido, e ele ganharia algum reconhecimento por admitir um engano.
A MENTIRA é verdadeiramente revelada quando ele precisa de arranjar um mainato para testemunha.
Foi esta manobra infantil, desesperada e raivosa de Sócrates que - ao querer salvar-se - veio revelar a MENTIRA, tentada esconder com outra mentira.
Esta gente NÃO PRESTA

12 janeiro, 2014  
Anonymous Anónimo disse...

O Anónimo de 8 de Janeiro..

Sobre este assunto, você tem ou não tem razão?
Não tem pois não? Eu acho que não.
E Sócrates mais uma vez a calar a oposição e campanha de difamação automática através de blogs e imprensa contra ele.

Sobre o seu trabalho de investigação sobre camarate, não vi tudo, vi parte, cheguei à conclusão que nada se fez, pois não tem como provar o que acha que se sucedeu. Por não ter provas, não quer que não esteja certo sobre o assunto. É algo que pouco me interessa, desculpe-me a sinceridade, mas já é tão passado, que nem vale a pena apurar se foi acidente ou provocado, já deveria de ter sido apurada a verdade, agora é história e construir o futuro. E como não conseguiu provar nada, não tem o trunfo de ser um bom jornalista. E o maior argumento a meu favor a indicar que você é um mau jornalista é os seus dois últimos posts. Como tal só irei mais aos seus blogs se me apetecer saber mais qualquer coisa sobre a morte de Sá Carneiro.

Os assuntos que agora acho de maior relevo são as PPP's e SCUTS, que vai dar na RTP, e economia e política Europeia, para além da nossa execrável política interna. E não onde andou José Sócrates no dia em que Portugal jogou contra a Coreia do Norte, como é demasiado óbvio.
Finalmente, o tempo que perdi não foi totalmente mal gasto, tão pouco foi bem aproveitado, a CIA e FBI e Serviços Secretos Americanos são as piores instituições mundiais a seguir à Goldman Sachs e JP Morgan, que são as instituições cujos líderes mandam nas outras todas inclusive nos nossos CTT.

12 janeiro, 2014  
Blogger para mim disse...

Caro anónimo, sei que não é preciso que saiba, mas quero informar-lhe que um jornalista não pode acusar ninguém nem julgar pessoas. Por isso, as tais "provas" de que fala, não me compete a mim apresentar. Aliás, nem eu as conseguiria arranjar, pois, ao contrário das autoridades policiais, não disponho de poderes legais para investigar pessoas através do uso de mecanismos consagrados na lei, como a intimidação para prestar depoimentos, a capacidade de as fazer arguidas enquanto são investigadas, efectuar escutas telefónicas, ter acesso a informações de contas bancárias e outras coisas que podem ajudar a conseguir as tais "provas" de que fala. Como jornalista investigo até onde é legal e seguro ir. E já fiz muito mais do que muitos outros e mais ainda do que as tais forças policiais. Apresentei documentos, fiz relações de factos e apresentei perguntas a quem de direito. Mostrei evidências e indícios que deviam ser investigados e não foram. Não sou eu o polícia, mas também não posso admitir que me tratem como se fosse eu o ladrão. Ah! E fiz tudo isto por si também, mesmo que não esteja interessado. Mas, um povo sem passado, não merece ter futuro. Por isso, de nada.

13 janeiro, 2014  
Anonymous Renato Portugal disse...

Mostrem-me um opositor político de Sócrates (ou alguém que não goste particularmente dele) a dizer o mesmo, que eu então acredito...

14 janeiro, 2014  
Blogger Fernando Negro disse...

Este artigo e toda esta história, fazem-me lembrar uma outra, relativa ao que disse uma vez o W. Bush, a propósito dos atentados de 11 de Setembro.

Em que, depois de este ter sido apanhado a dizer algo que era claramente mentira,

http://whatreallyhappened.com/WRHARTICLES/bushlie.html

apareceu um artigo no "The Times" de Londres, com fotografias que também não ajudavam, em nada, a encobrir a mentira - pois, mostravam supostamente algo que também não podia ser verdade.

http://www.propagandamatrix.com/bush_school_photos_2.html

14 janeiro, 2014  
Anonymous Renato Portugal disse...

"Morávamos no centro histórico da Covilhã e a escola ficava a poucas centenas de metros de casa".

Faltou então, ao Sr. "Eng.º", dizer que, na altura, estava coxo... E que, por isso, só chegou à escola, a poucas centenas de metros de casa, mais de meia hora depois, quando já Portugal tinha marcado 4 ou 5 golos...

(Mas que, no entanto, conseguia correr e jogar à bola...)

14 janeiro, 2014  
Anonymous Renato Portugal disse...

E somem-lhe os 10 ou 15 minutos de intervalo(!), de que não me lembrei - e que foram referidos pelo comentador a esta colocação, Nuno Garrido (que só agora li)...

São mais de 40 ou 45 minutos, para percorrer "poucas centenas de metros"...

Que raio de jogador de futebol seria, então, o Sr. "Eng.º"...

Deve ter sido do coxear, coitado... Teve também de parar, a meio, para descansar...

14 janeiro, 2014  
Anonymous Anónimo disse...

Estou serenamente à espera por uma opinião sobre a entrevista ontem feita a José Sócrates. Esta não contém factos irrelevantes. Faça-me a indulgência de reflectir sobre o assunto, por favor!

Impaciente e atentamente,

O Anónimo de 8 de Janeiro

24 março, 2014  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial