20080923

Um computador do Carvalho

Corre para aí uma qualquer polémica sobre o facto de um computador para as crianças e que o governo anda a propagandear - com nome de família portuguesa - não tem controlo parental. Isto faz-me rir e digo-vos que, fala quem sabe, não há maior alegria do que ser criança e aprender, desde cedo, que convém escrever com todas as letrinhas o seu nome de família, senão isso dá uma outra coisa completamente diferente!...

Etiquetas:

13 Comentários:

Anonymous ana borges disse...

Muito gostam os portugueses de dizer mal, mesmo quando as coisas vão bem!
Que irritação!
Eu acho óptimo que o Sócrates tenha dado esses computadores, queria ver se a Manuela Ferreira Leite faria o mesmo...
Mas não!!
Há-que dizer mal!! sempre mal!!
Se não fosse pelo controlo parental haveria sempre qualquer outra coisa!
Nem que fosse porque a cor dos screen savers era feia!!
Bolas! Parem de ser assim , portugueses! Chega de tanto escárnio e mal dizer. Também há canções de amor e de amigo, lembram-se???

24 setembro, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

O que parece assim à primeira vista é que o computador que estão a propagandear, é um brinquedo para as crianças. A minha filha tem 6 anos e digo-vos para ela aquilo é canja, hoje qualquer criança tem acesso a um computador da loja dos chineses tão preparado como aquele, jogos interactivos e brincadeiras para se ambientarem às novas tecnologias... um pouquinho mais de imaginação não fazia mal.

24 setembro, 2008  
Anonymous Ricardo Zenner disse...

Para já, creio que não se esteja a dizer suficientemente mal da porcaria do computador que por cá dá pelo nome de «Magalhães».

Na verdade, não passa de um projecto da Intel, datado de 2005-2006, chamado Classmate PC e destinado ao Terceiro-Mundo como computador de baixo preço. Há-os desde então com todos os nomes possíveis, da Indochina à Zâmbia. Só que não são comprados por atacado nem propagandeados pelo (des)governo como se fosse uma grande conquista científica da própria nação.

A maquineta é um portátil obsoleto, com um monitor ridiculamente pequeno, uma placa gráfica miserável, um disco que para pouco serve, dada a exiguidade da sua capacidade, e um processador de 3ª escolha, como não podia deixar de ser, pois foi um projecto destinado a escoar material obsoleto da Intel para o Terceiro Mundo.

Assim, toda esta campanha «magalhânica» (pobre Fernão de Magalhães, cujo nome está a ser vilipendiado) não passa de simples e vergonhoso «dumping» comercial, ainda por cima pago por todos nós.

Quanto a não ter «controlo parental», isso é simples questão de configuração do browser da Internet, não tem a ver com a traquitana em si.

24 setembro, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

Cá para mim esta história de andar a dar portáteis aos alunos todos é para começar a agarra-los desde cedo ao pc para ficarem anestesiados com joguinhos animaçõezinhas e não andarem para aí a chatear os adultos.
Um computador quando é bem usado é útil, mas quando é mal usado pode tornar-nos uma espécie de zombies sem capacidade de pensar por nós próprios.
Espero que isto não seja mais um passo para a estupidificação das massas.

24 setembro, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

Porra!!

A Cavalo dado não se olha ao dente!!
Já mete nojo!
Queriam o quê?
Computadores de 3000 euros para as criancinhas brincarem??
Concordo plenamente com a Ana Borges.
Se o Governo decidisse começar a dar 3000 euros por mês às famílias também haveriam de se queixar porque eram "só" 3000 euros!!

Ora bolas!!

24 setembro, 2008  
Anonymous Ricardo Zenner disse...

Ò Anónimo das 2:23h e Ana Borges: O que está em causa não é o desgoverno que infelizmente temos estar a «dar» esses brinquedos às criancinhas; é a má-fé descarada com que o faz. Aquela porcaria não é de concepção portuguesa, é má e é impingida às famílias como se de um verdadeiro computador ÚTIL se tratasse. As famílias compram e a Intel dá uma comissão ao aldrabão do Socretino e companhia como paga de eles terem feito o dumping do lixo para aqui.

Não estamos a falar de qualquer dádiva ou de modernismos: estamos a falar de FRAUDE.

24 setembro, 2008  
Blogger Cruxe disse...

Caro Ricardo, eu, como entendido em informática, sei que o computador que eles estão a "oferecer" não é nenhum topo de gama, mas também não é nenhum lixo.
E, falando no papel de pai, acho que é mais do que suficiente para as crianças.
Se pensarmos bem, se o governo desse um portátil "a sério" por 50 Euros, a maioria das pessoas comprava um, não para a criança, mas para os adultos.

Eu tenho um portátil em casa e os meus filhos (de 7 e 5 anos) brincam com ele melhor do que, por exemplo, o meu pai. No entanto, como é lógico, não lhes confiava o computador para eles levarem para a escola. Por isso vou adquirir um Magalhães para que a minha filha possa aprender e brincar "por conta própria".

24 setembro, 2008  
Anonymous ibis disse...

Cá para mim...tanto faz.
O que eu sei, é que sei...e
desde á muito, que ficariamos atascados na pouca vergonha de todo um sistema educativo de véras ausente.
E só como achega:
Voçês não acham por acaso que a treta dos 19 valores para ingresso em Medicina correspondem por acaso a 19 valores de real inteligencia,vocação, competencia,respeito,civismo,humanismo,etc,pois não?
Dar os computadores,pois sim.Tem que se começar por algum lado.
Mas não sei porque será ,tudo isto faz-me lembrar de quando se cobriu Portugal de estradas,auto-estradas e outros betôes urgentemente inaugurados( e hoje já esburacados),porque "desenvolver é preciso".
E parece-me a mim,que nada sei,que tudo começou logo ai.Para não dizer á mais tempo.
O dinheiro foi para o sitio errado.
Um homem sem saber não é uma mais valia para um país.E a estrada muito menos.
Ora como isto é caso para várias gerações,não vos passe pela cabecinha que ensinar as crianças o uso do PC vai recompor a grande falha.
Até porque os papás que estão em casa fazem parte da geração perdida.Aquela a quem se "ensinou" que o que importava era um DR. atraz do nome.
Agora dizem que são Dr.s e Engenheiros mas não têm emprego portanto o pais está mal.
Pois sim.
E a coisa continua porque essa mesma geração que durante uns tempos até conseguio um nivel vida porreiraço,teima em não abrandar os consumos estupidos (bem,válá,digamos desenfreados para não ofender)de gente que apenas ensina a sua prol a ser desenfreadamente competitiva sem olhar a meios.
Qualquer cintista dirá que quando o factor humano falha o desenvolvimento fica compremetido.
E eu ia por aqui fora...só a custa dos "Magalhães".
Dava pano para mangas.
Mas sabem uma coisa?
A idade dá alguma sabedoria em todo o caso.
E nesta altura do campeonato...
Pra Mim Tanto me faz..

25 setembro, 2008  
Anonymous Ricardo Zenner disse...

Caro Cruxe:
Também sou razoavelmente entendido em Informática, já que sou engenheiro de sistemas. Eu não disse que o pseudo-Magalhães era um lixo como BRINQUEDO. É, isso sim, uma maquineta mais que ultrapassada como computador, apesar de excelente para a miudagem escavacar (também tenho filhos, mas nunca lhes compraria uma coisa dessas - prefiro dar-lhes um dos de secretária que tenho em casa e que ficaram entretanto obsoletos).

O que se passa, e que eu considero uma fraude grave, é apresentar a coisa como se fosse uma «conquista da tecnologia» socrática - perdão, portuguesa - e fazer uma propaganda destas a um produto que não passa de dumping empresarial.

E sabe quem paga o remanescente do custo à Intel? Pois é, adivinhou, somos todos nós...

Cumprimentos.

25 setembro, 2008  
Anonymous jcp disse...

eu desconfio desta tecnologia toda, o Sócrates deu às crianças os computadores, mas ENGANOU os pais destas crianças quando anunciou que os passe dos transportes para os miúdos iriam ter 50% de desconto.o que aconteceu foi que o tal desconto era para os passes de adultos que poderiam serem utilizados pelas crianças.como o passe dos adultos é mais caro, os pais vão pagar a mesma coisa que pagariam pelo passe de criança. então isto não é uma vigarice à TUGA. o bom negocio foi para a empresa que vai vender ao estado aquele brinquedo que já é vendido em todo Mundo à muitos anos.

25 setembro, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

E quando é que aprendem a escrever há com "H"?

25 setembro, 2008  
Anonymous ibis disse...

Está a ver?
Quando é que escrevem Há com H ?
Pois era ai que eu queria chegar amigo !
Cá a malta ( nem sempre e nem todos não se ofendam) nem sabe escrever ,mas sabem muito bem considerar computadores obsoletos quando por vezes não passa de vontade de obter o modelo mais recente mesmo que pouco uso se vá fazer disso.
Mas quem falou em consumo desenfreado?
Eu?
Nã.
Alucinava por certo.

26 setembro, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

hoje dia oito de Outubro, meus senhores e minhas senhoras, vejam o que escreveram sobre o Magalhães e digam lá se este governo mais os negócios que faz com os amigos não são todos uma associação de malfeitores.
dos jornais A SÁ COUTO METIDA EM FUGA AOS IMPOSTOS E INVESTIGADA...

há,há,há,há,há,há,há,há,há,há,há,há,há,

09 outubro, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial