20080128

Postal de Paris

Sobre o caso da fraude da Société Générale e do seu empregado, Jérôme Kerviel, recebi um "postal" de um leitor de Paris...



"Há que compreender uma coisa: NÃO EXISTE NENHUMA FRAUDE. O 'trader' apenas tomou posições de um valor de 50 mil milhões de euros, sem o acordo dos seus superiores, mas especulando sobre uma subida do mercado e, se tal tivesse acontecido, o banco teria lucrado e não perdido. Uma coisa muito importante, o 'trader' não desviou nenhum dinheiro, as percas de 5 mil milhões devem-se ao facto do banco ter liquidado as posições entre segunda e quarta-feira numa altura em que as bolsas mundiais estavam a baixar e com medo que ainda baixassem mais. E neste contexto até podemos dizer que o rapaz é um bom 'trader' porque apenas perdeu 10 por cento das posições, quando a bolsa de Paris por exemplo, acusa 18 por cento de perdas desde o princípio de Janeiro. Se o banco perdeu dinheiro foi porque o próprio banco decidiu liquidar as posições que o rapaz tinha tomado! Outra coisa muito importante, o rapaz não foi preso , mas sim apresentou-se voluntariamente à policia quando o advogado dele teve a certeza que um inquérito estava aberto, e se andou escondido uns dias foi apenas com medo de aparecer 'suicidado' com 4 balas nas costas. Parece que são coisas que acontecem a certas pessoas que se 'suicidam'!
Tal caso poderia acontecer em Portugal , mas em mais pequena dimensão, porque nehum banco português tem 50 mil milhões disponíveis para especular na bolsa, mas o facto deste banco ter assim tanto dinheiro disponível, porque aos 5 mil milhões de perdas se acrescentem mais 2 mil milhões de perdas nos 'subprimes' e mesmo assim ainda apresentam um lucro de 800 milhões de euros em 2007, longe dos 5 ou 6 mil milhões de 2006, isto apenas prova que os bancos vivem à nossa custa, mas à grande e neste caso também à francesa! Se os governos quisessem poderiam impedir estas 'aves de rapina' de nos cobrar tanto de juros e despesas diversas. Se repararem bem, pagamos muito mais a um banco - e todos somos obrigados a utilizar um banco - do que ao Estado, mas o Estado ainda nos vai dando qualquer coisa, enquanto que os bancos não nos dão nada. Este caso está a levantar uma polémica em França, que é de saber quem manda no país, se o Estado ou os bancos, e muita gente já pede o fim do sistema bancário, visto o dinheiro utilizado ser quase todo virtual, os bancos não são precisos para nada! Os bancos centrais garantem o valor de notas, moedas e dinheiro virtual, através de uma reserva de ouro, as notas e moedas sendo substituídas por dinheiro virtual situado num ficheiro informático, basta o banco central gerir esses ficheiros , onde temos as nossas contas e é o FIM DOS BANCOS !

E quem nos diz que este homem, Jérôme Kerviel, não vai ser para os bancos o que o Bosman foi para o futebol?

Mas talvez que o rapaz tivesse feito isto sozinho para aumentar o prémio de lucros, porque em 2006 apenas recebeu 1500 euros, mas ainda estava há pouco tempo no serviço!"

Etiquetas: , , , ,

1 Comentários:

Blogger Alexandr3 disse...

É engraçado, para quem leu aquele livro do clube bilderberg, ver estas considerações sobre o dinheiro virtual e o sistema bancario...
O círculo fecha-se.

29 janeiro, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial