20050211

Terceira carta a um estrangeiro sobre o Portugal de hoje

Caro estrangeiro,

Acho que hoje houve uma polémica qualquer sobre uma suspeita de que o candidato do Partido Socialista, José Sócrates, estaria a ser investigado pela Polícia Judiciária sobre uma autorização que ele deu na altura em que era ministro do Ambiente. Parece que nada daquilo se confirma, pelo que o partido rival, o PSD, liderado pelo ainda primeiro-ministro Pedro Santana Lopes, deu mais um tiro no pé.
O meu caro estrangeiro poderá não saber, mas houve uma altura na nossa história recente em que o PS e PSD estiveram juntos no governo. Foi entre 1983 e 1985. Não foi assim há tanto tempo, mas há jovens que vão votar pela primeira vez no dia 20 e que ainda não eram nascidos quando houve este governo, que ficou conhecido como "Bloco Central".
Esses jovens vão votar e ignoram a História da recente democracia em Portugal que resultou da Revolução de 25 de Abril de 1974, quando os militares derrubaram o ditadura.
Ainda há dias, num concurso televisivo de cultura geral, houve uma jovem concorrente que achava perfeitamente natural não saber quem tinha sido o primeiro Presidente da República depois daquela nossa revolução democrática de há apenas 31 anos.
Pergunto-me: Se os filhos não conhecem a história dos seus pais, que tipo de filhos irão depois criar?
Serve isto para lhe dizer, caro estrangeiro, que nenhum destes dois partidos pode criticar ou apontar falhas éticas ao outro partido, uma vez que ambos sempre governaram alternadamente durante os últimos 30 anos. Todos eles têm os telhados de vidro bem visíveis.
A solução não pode estar na esquerda, como no Brasil ou na Venezuela, pois os EUA nunca iriam permitir - Portugal tem uma base área norte-americana nos Açores e pertence à NATO. Não pode haver comunistas nos governos dos países membros da NATO...
Mas, há pouco vi a luz!
A sério!
Percebi!
Já sei porque Santana Lopes fez tantos erros nestes últimos quatro meses em que lhe foi entregue o posto de primeiro-ministro...
Ele quer acabar com o PSD e fundar um novo partido!
Estas eleições, ele já sabe, vão ser para perder e avaliar quantas pessoas, ainda assim, acreditam em si.
Perde agora, mas como ainda é um homem novo, funda um novo partido e daqui a uns quatro anos, quando os socialistas acabarem de explorar o seu filão mais uma vez, lá está Santana.
Como um salvador.
Vais ver, caro estrangeiro, se não vai ser mesmo assim como eu te digo...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial