20040625

Teoria da constipação - III

Antes do jogo Portugal-Inglaterra tinha a ligeira impressão de que já estava tudo feito para a vitória de Portugal.
Foi com esse espírito que assiti ao jogo, reconheço-o.
É capaz de ser um pouco diferente daquele que muitos viram, mas foi assim que o vi:
A partida começou com um golo inglês aos 3 minutos e imediatamente Scolari pediu calma aos jogadores. Estava visto que a seguir viria a épica recuperação...
O Rooney saiu lesionado. De facto, era um perigo aquele rapaz continuar em campo, pois poderia querer marcar mais golos.
O Deco só viu o primeiro amarelo quase no fim do jogo...
Quando Figo saiu, aos 80 minutos, percebi que ficara chateado porque ele sabia que a recuperação iria ser feita já sem a sua presença em campo.
Também Figo sabia o que ainda estava para vir...
Ainda faltavam 10 minutos para o fim e, já se sabe, com a França foi o mesmo.
Hélder Postiga, que por acaso até joga em Inglaterra, conseguiu depois saltar sozinho entre dois defesas ingleses numa zona proibida, e isto, a sete minutos do fim o que, deste modo, faria com que o jogo seguisse para prolongamento.
Lindo.
Mais tempo de bola, mais emoção para o povo. Ou seja, estava tudo a correr dentro do plano...
Depois, houve aquela arrancada "gulosa" de Rui Costa. Mas, o que lhe deu para marcar aquele golo assim?!
Não podia ser!
Por isso é que os ingleses fizeram o que sempre souberam fazer e foram para cima de nós tentar marcar outro golo, uma vez que sabiam que iriam perder contra a equipa anfitriã, mas não seria como ela queria.
O jogo tinha de ir para a decisão por penalidades.
E viu-se que ninguém marcou no prolongamento.
Há certas honras no futebol...
E Beckham falhou o primeiro penalty.
E Rui Costa? Pois, como nunca deveria ter marcado aquele segundo golo, lá "compensou" as massas com o falhanço do seu penalty.
Postiga era o único que estava "autorizado" a marcar aos ingleses e fez aquela "graça"...
Não tiro mérito à defesa de Ricardo, mas ir defender sem luvas foi ainda mais épico... Que coreografia!
Um espectáculo do princípio ao fim, melhor do que o Ballet russo!
E será que James não sabia que Ricardo também iria tentar marcar o penalty?
Que péssima defesa ele efectuou.
Reparem na repetição e vejam que ele, apesar de se ter atirado para o lado certo, não se esticou muito...
Acho, contudo, que o golo anulado à Inglaterra foi bem anulado, e não digo o mesmo em relação àquela confusão junto da baliza inglesa. Porém, sei que nenhum árbitro iria arriscar decidir uma eliminatória contra a Inglaterra daquela forma. É que as câmaras de televisão são bem melhores do que as do Mundial de Inglaterra de 1966. E, apesar disso, pergunte-se ainda por que continuam a não ser permitidas decisões através de imagens?!
Se calhar, é porque não convinha para a verdade desportiva...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial