20060909

"Ich bin nicht ein berliner"

Enquanto semanário com nome de banco angolano ainda não está aí para ser "apreciado", o "Expresso" mudou esta semana para o formato "berliner".
A grande manchete histórica, afinal, acabou por ser uma reportagem que já passou há uma semana na RTP1 e cuja notícia dei aqui. Algo que depois os jornais diários não souberam aproveitar (e depois queixam-se de perderem leitores)



O trabalho do semanário de Paço de Arcos no tratamento deste caso, porém, deixa algo a desejar... Reparem na diferença* da conclusão da reportagem do jornalista do "Expresso" e na da reportagem que passou há dias na RTP1:

O "Expresso":


Os "outros":

"(...)
TERENCE McKENNA: [voice-over] After his first week in Bosnia, Abdurahman says that the CIA asked him to actually go into Iraq with al Qaeda forces so that he could provide information to the American military. They told him it would be dangerous.

ABDURAHMAN KHADR: They really trusted that I would do this for them. But really, when- later, they suggested that, "You're going to be in a gun fight. You're going to be in the middle of the storm. Do you understand what you're going through?" And that's when I thought, "You know what? Stop this. This is a good time to stop."

TERENCE McKENNA: Once he decided to get away from the CIA, Abdurahman made a call to Toronto, to his grandmother.

GRANDMOTHER: I said, "Is this Abdurahman?" He said yes. "Where are you?" And he said, "I'm"-

TERENCE McKENNA: He told her that he desperately wanted to come back to Canada. He told her to tell the media that the Canadian government was not helping him.

GRANDMOTHER: They said, "Go. Anyway, we don't care about you."

TERENCE McKENNA: Abdurahman felt that going public with his story would force the Canadian government to allow him to return to Toronto. After the news about him broke in Canada, Abdurahman says that he was brought to a CIA safe house in Sarajevo. He says the Americans agreed to let him go back to Canada, and he promised he would not tell anyone of his relationship with the agency. He says the CIA never paid him the promised monthly salary, that they took away his false Moroccan passport and then dropped him off at the Canadian embassy.

When he arrived back in Canada in November, he was met by his grandmother. Shortly afterwards, he held a press conference and told lies about what happened after his release from Guantanamo".

* É caso para dizer:

4 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

É só para retificar uma pequena (grande) coisa: o semanário é feito em Paço de Arcos... Em Queluz é a TVI.
Até podia ser o caso de ser impresso na Lisgráfica, que em em Queluz, mas nem isso...

10 setembro, 2006  
Blogger UheccaGil disse...

Óptima foto! E execelente post!

10 setembro, 2006  
Blogger para mim disse...

Caro "anónimo", obrigado. Estas coisas acontecem, mais grave teria sido se em vez de Cacém eu tivesse escrito Santiago do Cacém...

10 setembro, 2006  
Anonymous Anónimo disse...

Meu caro FRED
Ando eu tão atrapalhado às vezes, para fotografar um qualquer anónimo da Brandoa ou Massama "que são notícia" porque se esqueceram de tirar o bilhete do metro, e não dão a cara e logo o GRANDE SEMANÁRIO DE PAÇO DE ARCOS faz uma reportagem (em duas partes)do homem mais procurado pelas forças do mal, teve direito a fotos com iluminação tipo de estudio, poses etc. numa rua de Toronto.
Já agora, achei muita graça aos comentários dos agentes do FBI na dita reportagem, e a legenda de uma das fotos na segunda parte da peça publicada no dia 16/09 (...fotografado no inicío desta desta semana ...)quando uma semana antes (09/09)o semanário de referência já publicava uma foto do bufo ABDURAHMAN com a mesma camisete
preta ao lado da mesma parede, só que feita do lado oposto.
um abraço

17 setembro, 2006  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial