20040602

Bolas para o Abramovich!

O milionário (ou multi-bilionário) russo Abramovich contratou para treinador da sua equipa inglesa, Chelsea, o treinador vencedor da final da Liga dos Campeões. Mandou embora um treinador italiano que levara a sua equipa até ao segundo lugar da liga inglesa e que fora afastada da final da Liga dos Campeões nas meias-finais, frente à equipa francesa do Mónaco. A mesma que foi depois derrotada pelo novo treinador do Chelsea.
Não há aqui qualquer teoria da conspiração. Nem mesmo depois de ter sabido hoje que José Mourinho sofreu ameaças contra a sua família enquanto andava em conversações com o Chelsea, antes da final da Liga dos Campeões.
Agora, eu não peço nem invento conspirações. Nem ando sempre à procura delas. Mas leio sinais. Leio as pequenas notícias. Como aquela que veio publicada na segunda-feira na secção de desporto do diário "Público". Para que não fique esquecida, ei-la (com a devida vénia à sua origem e autoria):

Bomba Destruiu Entrada do Estádio do Mónaco
Por ANA NAVARRO PEDRO, Paris
Segunda-feira, 31 de Maio de 2004
A forte explosão que destruiu a entrada H do estádio Louis II, no Mónaco, na madrugada de domingo, "resulta da derrota" esmagadora do AS Monaco contra o FC Porto na final da Liga dos campeões, disputada na passada quarta-feira, em Gelsenkirchen, Alemanha, afirmou ontem um porta-voz do Governo monegasco, que pediu a assistência da polícia judiciária francesa.
A bomba explodiu no exterior do recinto, junto ao sector onde se encontram os escritórios do estado e as sedes de associações, segundo informou, por seu lado, Jose Badia, conselheiro para assuntos sociais e obras públicas do governo do Mónaco. A explosão do engenho, que teria entre um a dois quilos, não foi reivindicada e apenas fez estilhaçar algumas janelas, sem provocar quaisquer ferimentos. "Não existe um clima de insegurança no Principado. É mais provável que isto seja um acto isolado, talvez relacionado com a modalidade. É a primeira vez que isto acontece no Mónaco", afirmou Badia.
A superioridade do FC Porto na final da Liga dos campeões (3-0), provocou a deliquescência do AS Mónaco. Os principais jogadores - Giuly, Rotehn, assim como Morientes, emprestado pelo Real Madrid - devem deixar o clube, e o treinador, Didier Deschamps, estuda outras ofertas. Com uma dívida de 53 milhões de euros, proibido de recrutar jogadores pela Federação Francesa de Futebol e sem vedetas, o clube vê o seu futuro ameaçado. A derrota contra o FC Porto teria relançado o interesse dos financeiros russos que foram impedidos de comprar o AS Monaco há dois anos, depois dos serviços secretos franceses os terem acusado de representarem mafias russas.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial