20060323

Ideias para títulos de livros

Sei que isto de dar ideias para títulos de livros é algo não devia ser feito de borla, pois apesar de saber que não se deve julgar o livro pela capa, a verdade é que isso mudou desde que José Saramago, o Nobel, confessou que muitas vezes imaginava primeiro o título do livro e só depois é que desenvolvia a obra. Mesmo assim, acho que não custaria nada deixar aqui o título para muitas obras que duvido que alguma vez venham a surgir no mercado.
Caso isso venha a suceder, apenas direi ao autores: De nada!

Então aqui vai a lista:

- "Pinto da Costa - A Biografia não Autorizada"

- "De Durão a Sócrates e de Sampaio a Cavaco (com Santana pelo meio) - A Verdadeira História do Mais Recente Golpe de Estado em Portugal"

- "Marcelo Rebelo de Sousa - Como um Criador de Factos Políticos Chega a Conselheiro
de Estado"

- "Casa Pia - O Que Já Foi Dito e o Que Ainda Ninguém Disse"

- "Como Fazer uma Travessia no Deserto - Paulo Portas e as Técnicas de Manipulação dos Media em Proveito Próprio"

- "Túnel do Marquês e Metro do Terreiro do Paço - Duas Histórias Diferentes ou Talvez Não?"

- "Fátima Felgueiras e Isaltino Morais - A Política Que Compensa"

- "O Valentão - A Ascenção Sem Queda de Valentim Loureiro"

- "O V Império na Visão de Freitas do Amaral - Uma Proposta para a Política Externa de Portugal"

- "Estádios de Futebol versus Hospitais - A Estranha Lógica das Prioridades Num País Que se Diz Europeu"

3 Comentários:

Blogger Lobo Mau disse...

Se me permite, gostaria de propôr mais um título:
"A oxidação do Apito Dourado"

23 março, 2006  
Anonymous Anónimo disse...

Boa, fred! há muito que nao escrevias um post com tanta graça!!!

Rute

24 março, 2006  
Anonymous ibis disse...

O Quinto Império segundo Freitas???
Genial meu caro...genial.

voce tem imaginação.imaginemos então,por ex. ,("what a wontherful world")os jogos de futebol fantasticos entre o "ira" e "a grande bretanha",ou a "al-kaeda teem" versus "bush & com."

imaginem os árbitros; a porradaria... enfim, as "negociaçoes".

É isso. Há que fomentar a paz.

26 março, 2006  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial